Anais do VI Congresso de Letras: Linguagem e Cultura: Múltiplos Olhares, 2007

O CIVILIZAR DA MULHER NA HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO

Elza Cristina de Rezende Marques, Joice Meire Rodrigues

Resumo


A educação feminina institucionalizada é um fenômeno recente de estudo na historiografia. Durante séculos, a mulher foi retratada, de modo geral, a uma situação de subordinação e dependência do pai e/ou do marido. Vista assim, como objeto sexual do homem, colonizador e proprietário. Dentro de casa, as mulheres recebiam instruções de suas mães, escravas, avós, governantas e tias, tais como: bordar, cozinhar, costurar e outros afazeres, em sua maioria ligada ao cotidiano doméstico. Desta forma, por um longo período, dedicaram-se a um espaço privado, e conseqüentemente estiveram afastadas de uma educação formal. No entanto, apesar desta exclusão, a partir do século XVIII, o ingresso das mulheres no espaço público intensifica-se, e a figura feminina passa a ser cuidadosamente moldada pela igreja, de acordo com as exigências do projeto modernizador. Dentro dessa perspectiva discutiremos as implicaturas da palavra civilizar na construção do modelo feminino no qual a família e a escola apresentam-se como mecanismos de materialização deste tipo de comportamento, característico do modelo social patriarcal

Texto Completo: PDF