Anais do V Congresso de Letras - Discurso e Identidade Cultural, V Congresso de Letras: Discursos e Identidade Cultural

Congresso de Letras

Prof. Dr. Amédis Germano dos Santos

Resumo


Com satisfação, publicamos os textos dos pesquisadores participantes no V CONGRESSO DE LETRAS DO CENTRO UNIVERSITÁRIO DE CARATINGA, realizado entre 17 e 21 de maio de 2005, um espaço em que nos foi possível discutir o tema: DISCURSOS E IDENTIDADE CULTURAL.Apresentamos essa obra com as palavras bíblicas do Livro do Eclesiástico:

“Feliz o homem [e a mulher] que se ocupa da sabedoria
E que raciocina com inteligência,
Que reflete, em seu coração, nos caminhos da sabedoria
E medita em seus segredos.
Sai atrás dela como um caçador,
Põe-se à espreita nos seus caminhos.
Inclina-se para olhar por suas janelas,
Escuta às suas portas.
Detém-se junto à sua casa,
Fixa o prego nas suas paredes,
Coloca a sua tenda junto a ela,
Acampará num lugar de felicidade (Eclo 14, 20 - 25).”

Como o sábio Antigo Testamento, que medita dia e noite nos caminhos da sabedoria e perscruta os seus segredos, também essa deve ser a postura do pesquisador ante a realidade que o circunda. Nas várias instituições de ensino, pesquisa e extensão, de onde viemos o nosso ser e agir deve se motivar por um ideal comum, que dará sentido e fará frutificar nossas obras o ideal de acrescentar uma nota na grande orquestra da vida, cujo Maestro é o Criador.

Assim deve ser o educar e pesquisador, ante os desafios que a vida oferece. A Escola, a Academia não tem sentido se não se posiciona junto à sociedade como um lugar de reflexão, discussão e procura de respostas para cada desafio.

O curso de Letras do Centro Universitário de Caratinga, representado pela Comissão Coordenadora do Congresso, colocou em pauta o tema do momento, a reflexão sobre os vários discursos que se entrecruzam na vida da sociedade, como ponto de partida e chegada a própria vida de cada indivíduo. O discurso do poder e o discurso das minorias, o discurso do centro e das margens, o discurso veiculado pela mídia, e também o discurso popular, marcado pela capacidade de resistência e sobrevivência às várias formas de invasão cultural.

E os discursos da academia, da Escola, do educador e pesquisador, deve m ser capazes de assimilar e analisar, com espírito crítico, ético e humano, as várias tendências e possibilidades desses discursos que permeiam a vida do indivíduo e da sociedade a que pertence.

Os artistas, em todos os tempos, são, segundo observa o poeta americano, Ezra Pound, “as antenas de uma raça”. No discurso da Arte, eles sabem captar com beleza, muitas vezes, incômoda para nós, as vozes que falam e as que se calam no cotidiano da sociedade. Essa também deve ser a nossa sensibilidade, ante os balbucios, os sussurros, os gritos, e até o silêncio que os acontecimentos suscitam na vida social, e a sua maneira de interferir na construção, na revitalização e até na dissolução da identidade de determinada cultura.

Foi com grande surpresa que a Comissão Organizadora do Congresso recebeu um número bastante significativo de inscrições de trabalhos de professores e acadêmicos da graduação, pós-graduandos, mestres e doutores de várias instituições nacionais.

Os textos selecionados, dentre os apresentados foram reunidos, segundo as temáticas específícas: Educação, Linguagem e Sociedade e Literatura, Arte, Cultura e Identidade.

Esperamos que ecos do V CONGRESSO DE LETRAS do UNEC, possam ser acolhidos pelos leitores como um registro de nossas reflexões e inquietações sobre a complexidade e diversidade da nossa Cultura, suscitem novas perguntas que apontem novos caminhos na busca da arte do saber, comunicar-se e conviver.