Revista de Ciências, Vol. 8, No 2 (2017)

Prevalência de lesão de septo nasal em recém-nascidos assistidos na Unidade de Terapia Intensiva Neonatal de um hospital do Município de Caratinga-MG

Tayse Angélica Martins Gomes, Juliana Carvalho Reis, Wanderson Fagner Gomes

Resumo


O desconforto respiratório é uma das principais causas de internação
dos recém-nascidos em unidades de terapia intensivas neonatais, assim, a pressão positiva contínua nas vias aéreas por meio do dispositivo prong nasal pode ser um método de suporte ventilatório não invasivo utilizado para o tratamento desta condição; apesar de suas vantagens na prática clínica, é comum o aparecimento de lesões de septo nasal pelo seu uso, sendo esta uma grande preocupação nas unidades de tratamento neonatais. O presente estudo teve como objetivo avaliar a prevalência de lesão de septo nasal em recém-nascidos assistidos na unidade de terapia intensiva neonatal. Trata-se de um estudo epidemiológico, com corte transversal, de abordagem quali-quantitativa. A amostra foi composta por recém-nascidos de idades gestacionais variadas, de ambos os sexos, que apresentaram algum estágio de lesão de septo nasal ao permanecer em pressão positiva contínua nas vias aéreas nasal por tempo igual ou superior a 24 horas no período de março a agosto de 2015. A coleta
de dados foi realizada durante quatro semanas, por meio de triagem
em prontuários pré-existentes, os dados foram tabulados no excel®, analisados e apresentados em gráficos e tabelas de frequência relativa e absoluta. Foi possível concluir que a prevalência de lesão de septo nasal na unidade neonatal estudada foi de 33,3%.

Texto Completo: PDF