Revista de Ciências, Vol. 7, No 2 (2016)

Agranulocitose induzida por Metimazol - relato de caso

Samille Seixas de Jesus, Raquel Facury Berganholi, Paulyran Ferreira y Silva, Geralda Maria Fonseca Silva, Thamara Christina Silva Machado, Thiago Campos Ferreira Rocha, Helena Facury Barbosa

Resumo


Agranulocitose é uma doença hematológica rara caracterizada por pancitopenia periférica associada á hipocelularidade da medula óssea. A letalidade é de aproximadamente 4%. Pode ser definida como contagem de granulócitos inferior a 1500/mm3. A redução do número neutrófilos
predispõe a várias infecções. As causas podem ser constitucionais ou induzidas por agentes químicos ou biológicos, sendo que o mecanismo da aplasia ainda não está bem esclarecido. Os principais fármacos indutores são dipirona, cloranfenicol e metimazol. As manifestações clínicas mais frequentes são faringite, tonsilite, estomatite, pneumonia, e candidíase. O metimazol é uma droga antitireoidiana, sendo usado no
tratamento do hipertireoidismo. A frequência ocorre em 0,1 a 1% dos pacientes em tratamento, sendo o seu risco relacionado ao aumento da dose. O objetivo do presente estudo foi relatar um caso de paciente diagnosticado com Agranulocitose, associado ao uso de metimazol. Concluindo que apesar das drogas antitireoidianas serem muito usadas
nas práticas clínicas, elas podem causar complicações. Apesar de rara, a Agranulocitose pode ser diagnosticada rapidamente trazendo uma efetiva redução da mortalidade.

Texto Completo: PDF