Revista de Ciências, Vol. 6, No 3 (2015)

Incidência de agranulocitose devido ao uso de dipirona na América Latina

Manoel Victor Vasconcelos Miranda Guzella, Matheus Paiva de Souza, Larissa Barbosa Antunes, Raquel Xavier Ligeiro Dias, Paulo César Tostes de Campos Junior

Resumo


A dipirona é um dos medicamentos mais comercializados no Brasil. No combate à febre, é, com certeza, a mais empregada. Além de seu efeito antitérmico, possui efeitos analgésico e anti-inflamatório, já que é um anti-inflamatório não esteroidal. O efeito adverso da dipirona sobre a supressão da formação de leucócitos, em particular os granulócitos (agranulocitose), foi descrito em 1934. Tendo em vista o amplo uso da dipirona em todo o mundo, este assunto é sempre muito palpitante. Neste contexto insere-se a questão agranulocitose e dipirona, com a relevância de que os sintomas e sinais da agranulocitose como febre, tremores, amigdalite e dor de cabeça são os mesmos que levam ao uso de medicamentos anti-inflamatórios, tornando-se difícil interpretar qual evento ocorreu primeiro.

Texto Completo: PDF