Revista de Ciências, Vol. 6, No 2 (2015)

Hipertensão arterial sistêmica: perfil epidemiológico da população brasileira

Marcela Augusta Carneiro, Clarice Reis de Oliveira, Guilherme Nunes Chagas Brito, Juliana Ataíde de Mesquita, Mayara Pimenta Lima, Sávio Francisco Ulhôa, Melissa Araújo Ulhôa Quintão

Resumo


O objetivo deste trabalho foi analisar os dados disponibilizados pelo Ministério da Saúde acerca da prevalência de hipertensão arterial por região do Brasil, e quantificar as variáveis relacionadas aos fatores de risco modificáveis e não-modificáveis disponibilizados pelo SIS-Hiperdia. Trata-se de um artigo descritivo, elaborado a partir da análise de dados disponíveis nas bases de dados do Ministério da Saúde e do IBGE, e ao final, tratamento dos dados obtidos por meio de tabelas e um gráfico. Foram analisados 59.014 registros de hipertensos, distribuídos em todas as regiões do país e cadastrados de janeiro a dezembro de 2012 no programa SIS-Hiperdia. A população total brasileira é de aproximadamente 190 milhões de habitantes; entretanto, a prevalência de HAS pelo SIS-Hiperdia é de menos de 1%, sugerindo subnotificação. Foi possível constatar a predominância maior de hipertensos do sexo feminino, em todas as regiões do país. A variável sobrepeso apresentou-se maior na região Sudeste. A proporção de hipertensos sedentários foi maior nas regiões Sudeste e Centro-Oeste. As regiões Centro-Oeste, Sul e Sudeste apresentam maiores índices de tabagistas hipertensos. A partir dos resultados, observou-se grande discrepância entre o número de hipertensos cadastrados em relação ao estimado pela literatura utilizada.

Texto Completo: PDF