Revista de Ciências, Vol. 5, No 3 (2014)

AVALIAÇÃO DA FORÇA MUSCULAR RESPIRATÓRIA E DO PICO DE FLUXO EXPIRATÓRIO EM PACIENTES SUBMETIDOS À HEMODIÁLISE

Maria Aparecida Manoela de Freitas, Ricardo Botelho de Faria, Michelle Santos Barros, Juliana Carvalho Reis, Juscélio Clemente de Abreu

Resumo


O objetivo do estudo foi avaliar o pico de fluxo expiratório e as pressões inspiratórias máximas e expiratórias máximas de pacientes com Insuficiência Renal Crônica, submetidos à hemodiálise. Foram avaliados 60 indivíduos que realizavam hemodiálise com uma frequência de três vezes por semana, com duração de quatro horas cada sessão e com um tempo total de tratamento em média de 78,8 meses. Para a avaliação do pico de fluxo expiratório, da pressão inspiratória máxima e expiratória máxima foram utilizados os aparelhos peak flow e manovacuômetro, respectivamente. As mensurações foram realizadas na primeira hora e na última hora antes de desconectar o paciente da máquina. Constatou-se que na amostra houve um predomínio do sexo masculino, com idade média de 52,36 anos. Os valores do pico de fluxo expiratório, da pressão
inspiratória máxima e expiratória máxima não demonstraram variação
intradialiticamente, porém, se apresentaram muito inferiores aos valores preditos para uma população normal. Observou-se também que o tempo de tratamento e a idade não interferem no pico de fluxo expiratório, na pressão inspiratória máxima, na pressão expiratória máxima e nos dados vitais avaliados nos pacientes. Conclui-se que, apesar de não apresentarem alterações significativas estatisticamente, os valores encontrados estão abaixo dos valores preditos, sugerindo um comprometimento da função pulmonar nesses indivíduos. Faz-se necessário a realização de novos estudos na área para melhor abordagem desses pacientes.

Texto Completo: PDF